A Bacia Amazônica de formação terciário-quaternário é a maior bacia hidrográfica do mundo, drenando aproximadamente 1/4 da área da América do Sul e escoando cerca de 1/5 de toda água doce do planeta.

É nela que encontramos, devido à sua grande área drenada, com aproximadamente 6.217.220 km2, o maior arquipélago fluvial do mundo, Mariuá, com mais de 700 ilhas, localizado no Rio Negro próximo ao município de Barcelos; assim como: o maior conjunto de rios do planeta, aproximadamente 1.700 rios, mais do que em toda a Europa; a maior Reserva Biológica inundada do planeta (Mamirauá); a maior ilha flúvio-marinha do planeta (ilha de Marajó) – na foz do rio Amazonas com mais de 50.000 km2 -, o maior rio do mundo (rio Amazonas) tanto em volume de água quanto extensão (6.750 km).

A Bacia Amazônica comunica-se com duas outras: ao norte com a bacia do rio Orinoco, na Venezuela, através do canal de Cassiquiare e, ao sul, com a Bacia Platina.

Rio Amazonas (Solimões)
O rio Amazonas, eixo principal da Bacia Amazônica, foi descoberto em Janeiro do ano de 1.500, na sua desembocadura pelo espanhol Vicente Yanez Pinzon, que o chamou “Mar Dulce”, e por Francisco Orellana, que o percorreu de oeste para leste, em 1541, dando-lhe o nome em homenagem às presumíveis mulheres guerreiras encontradas na foz do rio Nhamundá.

É possuidor da maior vazão ou descarga conhecida, devendo lançar ao mar, aproximadamente cerca de 200.000 a 240.000 m3/s de água. Para se ter ideia deste fenômeno em números, em sua foz o rio Amazonas é capaz de fornecer em 30 segundos, um litro de água para cada um dos quase 8 bilhões de habitantes do planeta. Tal descarga ocorre com tanta força no Oceano Atlântico que suas águas doces do Amazonas atingem cerca de 150 km da costa.

A cada ano, esse rio colossal aumenta em 1 km o litoral das Guianas e do Brasil. É tão grande a quantidade de sedimentos que o rio Amazonas arrasta e deposita no Oceano Atlântico, que se juntássemos durante um ano, atingiria altura 10 vezes maior que o Pão de Açúcar.

Rio Juruá
Afluente da margem direita do Rio Solimões. Nasce na Serra de Contamana (divisor de águas com a Bacia de Ucayali), num local denominado Cerro das Mercês, no Peru. Apresenta uma extensão de 3.350 km com sua foz localizada próximo à Vila de Tamanicoá, aproximadamente 450 milhas à montante de Manaus. É o mais sinuoso rio da margem direita.

Rio Purus
Nasce no Peru a aproximadamente 500 metros de altitude. Seus principais formadores são os riachos Curiuja e Cujar, e após confluência dos mesmos, recebe o nome de Purus. É afluente da margem direita do Rio Solimões, apresentando um percurso extremamente serpenteado, com curvas muito fechadas e ausência de corredeiras.

 

 

Rio Madeira
É considerado o mais importante afluente da margem direita do Rio Amazonas, seus formadores nascem nos Andes, Planaltos Andinos (rios Beni e Madre de Dios) e Planalto Central (rio Guaporé, um dos principais formadores do Madeira).

Rio Negro
O Rio Negro nasce com o nome de rio Guaínia na Serra de Tunaí, no Planalto da Colômbia em altitudes de cerca de 1.660 metros. A extensão total é de 1.700 km, aproximadamente. No Brasil, a entrada desse rio dá-se na localidade de Cucuí, fronteira com a Colômbia e a Venezuela, onde recebe o nome de Rio Negro, desaguando no Rio Amazonas em frente à cidade de Manaus. Possui boa profundidade, o que permite a navegação de navios com bons calados. O Rio Negro é o mais importante rio de águas escuras da rede fluvial das bacias brasileiras. Decorrente dos sedimentos encontrados no seu leito, composto por materiais orgânicos, barro, areia e pedras.

Fonte: Acervo de Livros da PROA.

Tabelas de Distância

Manaus X Tabatinga
Manaus X Itacoatiara