PROA | Praticagem dos Rios Ocidentais da Amazônia

Facebook Twitter

24 anos de segurança da navegação nos Rios da Amazônia Ocidental

Cabeçalho

Rios da Amazônia

A Bacia Amazônica de formação terciário-quaternário é a maior bacia hidrográfica do mundo, drenando aproximadamente 1/4 da área da América do Sul e escoando cerca de 1/5 de toda água doce do planeta.

É nela que encontramos, devido à sua grande área drenada, com aproximadamente 6.217.220 km2, o maior arquipélago fluvial do mundo, Mariuá, com mais de 700 ilhas, localizado no Rio Negro próximo ao município de Barcelos; assim como: o maior conjunto de rios do planeta, aproximadamente 1.700 rios, mais do que em toda a Europa; a maior Reserva Biológica inundada do planeta (Mamirauá); a maior ilha flúvio-marinha do planeta (ilha de Marajó) - na foz do rio Amazonas com mais de 50.000 km2 -, o maior rio do mundo (rio Amazonas) tanto em volume de água quanto extensão (6.750 km).

A Bacia Amazônica comunica-se com duas outras: ao norte com a bacia do rio Orinoco, na Venezuela, através do canal de Cassiquiare e, ao sul, com a Bacia Platina.

Rio Solimões

Rio Amazonas (Solimões)

O rio Amazonas, eixo principal da Bacia Amazônica, foi descoberto em Janeiro do ano de 1.500, na sua desembocadura pelo espanhol Vicente Yanez Pinzon, que o chamou "Mar Dulce", e por Francisco Orellana, que o percorreu de oeste para leste, em 1541, dando-lhe o nome em homenagem às presumíveis mulheres guerreiras encontradas na foz do rio Nhamundá.


É possuidor da maior vazão ou descarga conhecida, devendo lançar ao mar, aproximadamente cerca de 200.000 a 240.000 m3/s de água. Para de ter idéia deste fenômeno em números, em sua foz o rio Amazonas é capaz de fornecer em 28 segundos, um litro de água para cada um dos seis bilhões de habitantes do planeta. Tal deságua ocorre com tanta força no Oceano Atlântico que suas águas atingem cerca de 150 km da costa.

A cada ano, esse rio colossal aumenta em 1 km o litoral das Guianas e do Brasil. É tão grande a quantidade de sedimentos que o rio Amazonas arrasta e deposita no Oceano Atlântico, que se juntássemos durante um ano, atingiria altura 10 vezes maior que o Pão de Açúcar.

Rio Jurua

Rio Juruá

Afluente da margem direita do Rio Solimões. Nasce na Serra de Contamana (divisor de águas com a Bacia de Ucayali), num local denominado Cerro das Mercês, no Peru. Apresenta uma extensão de 3.350 km com sua foz localizada próximo à Vila de Tamanicoá, aproximadamente 450 milhas à montante de Manaus. É o mais sinuoso rio da margem direita.


Rio Purus

Nasce no Peru a aproximadamente 500 metros de altitude. Seus principais formadores são os riachos Curiuja e Cujar, e após confluência dos mesmos, recebe o nome de Purus. É afluente da margem direita do Rio Solimões, apresentando um percurso extremamente serpenteado, com curvas muito fechadas e ausência de corredeiras.



Rio MadeiraRio Madeira

É considerado o mais importante afluente da margem direita do Rio Amazonas, seus formadores nascem nos Andes, Planaltos Andinos (rios Beni e Madre de Dios) e Planalto Central (rio Guaporé, um dos principais formadores do Madeira).



Rio NegroRio Negro

O Rio Negro nasce com o nome de rio Guaínia na Serra de Tunaí, no Planalto da Colômbia em altitudes de cerca de 1.660 metros. A extensão total é de 1.700 km, aproximadamente. No Brasil, a entrada desse rio dá-se-á na localidade de Cucuí, fronteira com a Colômbia e a Venezuela, onde recebe o nome de Rio Negro, desaguando no Rio Amazonas em frente à cidade de Manaus. Possui boa profundidade, o que permite a navegação de navios com bons calados. O Rio Negro é o mais importante rio de águas pretas da rede fluvial das bacias brasileiras. Seu fundo é composto de barro, areia e pedras.


Tabelas de Distância

Clique para selecionarManaus X Tabatinga
Clique para selecionarManaus X Itacoatiara